Nem Toda a Forma de Amor é Bem Vinda

– Desculpa. Eu te amo.

– Tudo bem. Eu sei.

Mas a verdade é que faz muito tempo que você já não sabe mais. Desde aquele dia em que ele mentiu pra você pela primeira vez, uma coisinha boba, pouca, o que pra ele pareceu tão banal e pra você fez soprar o vento da desconfiança. Porque convenhamos, você até que tentou entender, mas se existem motivos pra mentiras frívolas, tudo indica que os atos mais desrespeitosos teriam muito mais motivos pra serem omitidos com “pequenas histórias”.

No entanto o seu coração já te diz faz algum tempo que as mentiras são o que menos importa agora, porque o buraco nesse momento é tão mais embaixo que atravessa a crosta terrestre. Você sente que já existe um abismo entre as verdades e as histórias que você criou pra sustentar essa relação que mais parece bolsa de valores em dia de especulação. É preciso admitir, não dá mais.

Essa repetição incessante da expressão “me desculpa” tem deixado tudo superficial demais, como se agora vocês dois estivessem liberados pra se automutilarem, afinal de contas, o perdão está logo ali do outro lado da porta (a que separa o quarto da sala), é definitivo, você precisa encarar a dor do “acabou”.

– Sim, eu sei, você o ama!

E eu preciso confessar pra você que o seu maior problema sempre me pareceu esse: amar. Existem formas de amar sensatas, e definitivamente a sua nunca foi uma delas. Essa sua mania de fazer tudo “valendo”, como se nada fosse um jogo, uma interpretação da vida (dessas digna de Oscar), mesmo eu dizendo pra você o tempo todo:

– Aurora a vida é um espetáculo, contenha-se em interpretá-la!

Você nunca me entendeu. Sempre com essa sua mania de sinceridade. Então agora sou eu quem digo olhando nos seus olhos, que mais parecem uma gota de água em cima da terra seca, seja sincera consigo mesma, admita que esse amor já não sustenta mais esse prédio de cinco andares. Sim, as coisas estão desmoronando a sua volta e, aparentemente, você teima em não abandonar o prédio.

Não se machuque mais Aurora, você nunca mereceu ser amada pela metade. Justo você, a pessoa mais inteira que eu conheci na vida. Eu preciso dizer pra você: Nem toda a forma de amor é bem vinda.

– Desculpa. Eu te amo.

– Agora tanto faz. Adeus.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s